21/04/13

HÁ MISÉRIA EM PORTUGAL?


Quando se fala em miséria,  significa que estamos a falar de mendicidade, de um estado de penúria extrema. Miséria é uma expressão que hoje é usada com bastante pertinência, porque o Povo deste País sente carência das necessidades básicas para a sobrevivência.
Miséria, étimamente, também significa, lástima, vergonha, especialmente quando fazemos referência à qualidade de um serviço oferecido. Então, costumamos dizer: - A saúde pública está uma autêntica miséria, palavra que significa ainda mesquinhez, avareza, demasiado apego ao dinheiro ou que dà valorização demasiada aos bens materiais.
Pode-se ainda  empregar a expressão 'miséria'  para  se determinar um procedimento vil, ou seja, quando um indivíduo pratica algum acto com maldade, como também se chama 'miséria' a uma porção insignificante de qualquer coisa, que é uma ninharia ou uma bagatela, como é exemplo: - Os empregados recebem uma miséria.
Pode também ser usada  para se designar uma desgraça, um sofrimento intenso, um infortúnio.
Miséria é ainda usada para definir as fraquezas ou imperfeições do ser humano, como por exemplo: -  O vício é uma miséria.
No sentido figurado 'uma miséria', será algo insignificante, sem qualquer importância, muito mau, mas 'Fazer miséria' é uma expressão popular que significa fazer-se algo extraordinário,  admirável, mas também significa fazer porcarias, desordens ou praticar desatinos.
Cabe aqui perguntar: - Em Portugal há miséria? Em que grau?
Partimos do princípio que há uma desigualdade social gritante, e esta é uma razão para a divisão existente na sociedade, a partir do estatuto social de cada um de nós. É essa desigualdade social o resultado da forma como as pessoas vivem dentro do seu próprio País, pois há uma enorme divisão dos indivíduos a partir das classes sociais, demonstrando-se assim a desigualdade existente entre eles,  no campo económico, profissional ou até nas oportunidades.
A disparidade nos rendimentos entre os indivíduos existirá, existe e sempre existiu em todas as sociedades. Quando é  em excesso, a desigualdade  é danosa, pois uma parcela expressiva da população é privada das condições básicas de vida, enquanto uma pequena elite vive na opulência, na riqueza.
Podemos perceber quais são as diferenças entre as pessoas das diversas classes sociais, pelo modo de vestir, o local onde moram, o acesso à educação  e até pelo grau de influência do indivíduo dentro da sociedade. A desigualdade social  torna-se maior para os indivíduos que vivem na extrema pobreza, na mendicidade.
'Miséria da Filosofia'  é o título de um livro escrito pelo filósofo alemão Karl Marx, onde ele faz uma crítica sobre a obra escrita do filósofo francês, Pierre-Joseph Proudhon, 'Sistemas das Contradições Econômicas ou Filosofia da Miséria'.
Na obra Marx, apesar de concordar com as ideias de Proudhon de que a política económica aplicada leva o trabalhador a uma situação de miséria, ele discordava dos princípios económicos descritos, principalmente nas relações directas entre o trabalho e salário.
Talvez seja agora o tempo para o Governo ficar atento à degradação que grassa à sua volta! Os portugueses têm direitos constitucionais que são constantemente violados, pois o direito à educação, à saúde, ao trabalho, à alimentação, à residência condigna, ao bom nome, à liberdade de consciência, de opinião, de ser informado, à protecção e segurança de pessoas e bens, à justiça... e até à indignação, são algo que não seria preciso haver o 25 de Abril para acontecerem, bastando para isso algo que está em falta desde à muito nas estantes da Pátria, pois o que havia...